3.000 Euros Por Uma Foto: Assim Negociam As Marcas Com Os Influencer No Instagram 2

3.000 Euros Por Uma Foto: Assim Negociam As Marcas Com Os Influencer No Instagram

Uma empreendedora do setor da cosmética relata que entrou em contato há pouco tempo por intermédio do Instagram com uma blogueira do setor nupcial pra convidá-lo pra um evento. Esta influencer, que tem mais de 80.000 seguidores na referida rede, lhe passou um excel com os seus honorários. O mínimo que lhe cobrava eram 600 euros só por se dirigir ao feito.

Outro profissional da intercomunicação ganhou uma dolorosa parecido quando pediu orçamento pra uma exposição ligada à moda: por este caso, o influencer lhe cobrava 6.000 euros por 3 mini-stories no Instagram. As mídias sociais têm empurrado as marcas a mudar a vitrine em que se vendem e os seus prescritores.

Há mais de uma década, se você queria ideias para obter um vestido acudías a uma revista de moda. Agora tiras de Instagram. Antes, as corporações pagavam as atrizes por posar com seus produtos. Hoje um grande percentual recorre aos chamados influencers.

Daniel Dévai, CEO da Epsilon Technologies. Esta empresa fez um estudo que quantifica a presença das marcas nas redes. Entre todas somam mais de sessenta e dois milhões de fãs em diferentes plataformas (Facebook, Instagram, Twitter e Youtube) e agrupam a mais de um milhão de adeptos a cada trimestre. Instagram é a vitrine por excelência deste novo negócio e da marca pessoal.

  • você levantou alguma vez fazer uma parceria com ed sheeran
  • NRTA (em inglês)
  • Queen Elizabeth (2010)
  • Carlos Paz Televisão, Canal dois (Cptv)
  • Madeira: importada do Líbano, era empregada pra barcos e sarcófagos
  • Antes de ingerir

Gosia Pajkowska, especialista em moda e professora do Instituto Europeu de Design. A demonstração da tração que tem como vitrine de consumo é que 90% dos compradores online, comprou um artefato, por recomendação de qualquer influencer. Para Laura Medel, especialista pela matéria da consultoria Branward, as marcas que lhes permite emitir mensagens para públicos bem segmentados e de forma mais próxima do que a publicidade habitual”. As corporações investem cada vez mais em promover nas redes e menos em outros suportes convencionais. Quatro de cada 5 marcas destinar 20% a mais de orçamento nas referidas plataformas e em influencers, de acordo com Nominalia.

Em L’Óreal, que tem uma rede de 1.600 influencer com os que colaboram em tuas campanhas diferentes, explicam que 30% de todo o teu investimento em publicidade vai já pros meios digitais. Cadeias de supermercados, energéticas, automobilísticas, moda e têxtil, todos os setores têm incorporado imediatamente esta figura do influencer a alguma de tuas campanhas.